Skip to main content

Metrô SP: Maquinista Herói

Maquinista Herói

Homem cai nos trilhos do Metrô em SP e maquinista consegue parar o trem a tempo. Um homem de 37 anos, cuja identidade não foi divulgada, caiu nos trilhos da Estação São Joaquim da Linha 1-AZUL do Metrô, em São Paulo, na manhã do domingo, 17 de novembro. A maquinista conseguiu perceber e frear a composição a tempo, evitando o atropelamento.
Segundo informações do Metrô, a queda aconteceu no sentido Tucuruvi. Algumas pessoas que estavam na plataforma ficaram assustadas e tentaram acordar o homem caído nos trilhos, sem sucesso. O desespero ficou ainda maior, quando perceberam a luz dos faróis da composição se aproximando.
A maquinista acabou parando o trem alguns metros antes da vitima.
De acordo com o Metrô, o homem foi retirado da via com o auxilio dos funcionários da estação com um pequeno ferimento na cabeça.
Ele foi encaminhado ao Pronto-Socorro Vergueiro. A queda não afetou o funcionamento da linha, pois no domingo os intervalos entre os trens são maiores. A operação de socorro a vitima durou cerca de nove minutos.

Leia também:

Maquinista Herói

Números de acidentes cresce no Metrô.

Segundo reportagem UOL de 2017, mostrava o aumentou da
quantidade de acidentes envolvendo passageiros da Linha 4-amarela
do metro paulistano. Entre janeiro e outubro de 2016, houve 195
ocorrências na linha, ante 147 no mesmo período de 2015.
Por acidente, o Metro e a Secretaria Dos Transportes Metropolitanos consideram “as ocorrências que demandam encaminhamento para
atendimento medico”.
De acordo com a concessionária ViaQuatro,responsável pela operação
da Linha 4,os acidentes geralmente são quedas,torções e desequilíbrios nas escadas rolantes ou no interior dos trens.

Aspectos técnicos:

Quem usa o metro rotineiramente, e varias linhas, reclama que estações mais apertadas geram condições mais propícias para acidentes. Os passageiros são obrigados a compartilhar os mesmos espaços exíguos para entrar e sair do trem.
Linhas com plataformas centrais, usadas para o desembarque, enquanto as laterais se destinam apenas para o embarque são mais seguras. Exemplos da Estação da Sé e a Republica.

Responsabilidade:

Em casos sérios,quando há lesões,as vitimas costumam acionar a operadora dos serviços judicialmente, em busca de reparações por danos materiais ou morais.

“ Em todo serviço de transporte publico,a responsabilidade objetiva é
do transportador.Ou seja,se a pessoa sofre um ferimento ou morre
nesse transporte,o transportador é responsável pela reparação do
dano”

O que a pessoa ou responsável precisa comprovar é a lesão naquele local, seja por testemunhas, por filmagens das câmeras de segurança ou qualquer outro meio idôneo de prova.

Acidente Fatal

No dia 23 de dezembro de 2018, um menino de 3 anos escapou da família e correu da plataforma para dentro do túnel passando por uma portinhola na Estação Santa Cruz.
A criança morreu atropelada por uma composição.

https://metrosp.blog.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *