Skip to main content

Metrô SP: Que tipo de metro foi construído em São Paulo?

Que tipo de metro foi construído em São Paulo?

OS TIPOS DE METRÔ

Tipos de Metrô

As definições técnicas que fazem parte do projeto de uma linha de metrô são altamente complexas e decorrem não apenas de exigências específicas do sistema metroviário mas, principalmente, de aspectos como ocupação do solo, preservação do meio ambiente e do patrimônio histórico. Portanto, condicionam-se a características geológicas, topográficas e geotécnicas, a especificações do material rodante, características do sistema viário e – não por último – a aspectos legais. A interface do sistema metroviário com o meio urbano é mais evidente nos pátios de manutenção e nas áreas próximas às estações, onde se dá a integração com outros equipamentos de transporte, como terminais, passarelas, acessos, etc. e também com instalações de utilidade pública, como áreas comerciais, praças e jardins.

 

A ESCOLHA DO MÉTODO CONSTRUTIVO

Metrô - Construção Elevada

As linhas de metrô têm extensões da ordem de 20 a 25 km, atravessando áreas de características físicas diversas e, em muitos trechos, densamente ocupadas. Portanto, dificilmente pode ser feita uma única opção construtiva para todo o traçado. Quase sempre o que ocorre é uma alternância de estruturas, que podem ser ora em superfície, ora elevadas, ora subterrâneas. Além dos aspectos já citados, essa escolha também está condicionada às técnicas construtivas disponíveis e ao seu custo de implantação. Para linhas subterrâneas, por exemplo, a parte correspondente à obra civil responde por 50% dos investimentos. Assim, procura-se reduzir esses custos adotando uma tecnologia avançada que, além de otimizar os projetos de obra civil, sistemas e equipamentos, proporcione o menor impacto possível na superfície.

Fonte:

Metrô

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.