Skip to main content
Chuvas - Metro SP

Metrô SP: Chuvas e Alagamentos

Chuvas – Metro SP

Temporal em São Paulo registrado na madrugada de segunda (10) foi o maior para o mês de fevereiro em 37 anos.

A chuva forte que atingiu São Paulo a partir do fim da tarde de domingo provocou destruição e caos. A tempestade fez rios transbordarem, causaram dezenas de alagamentos, deslizamentos e travou a cidade.

Os rios Tiete e Pinheiros transbordaram

Chuvas - Metro SP

A circulação dos transportes públicos (ônibus, metro e trens) ficou comprometida.

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP) e o Campo de Marte, aeroporto da Zona Norte da capital, ficaram alagados.

RESUMO:

Pontos de alagamento: São Paulo chegou a registrar 154 pontos de alagamentos ao longo da segunda-feira.

Estado de atenção: Todas as zonas da cidade estiveram em estado de atenção para alagamento desde a 1h da manhã.

Recorde em fevereiro: Chuva em SP é a maior registrada em um intervalo de 24 horas no mês em 37 anos. .Rodízio de veículos: suspenso na segunda.

Marginais: Tietê e Pinheiros chegaram a ficar fechadas em pontos com alagamento.

Chegada a São Paulo: Rodovias Airton Senna e Dutra registraram congestionamento, situação que se repetiu na Castello Branco e na Imigrantes.

Congestionamento: Por volta de 8h, havia 89 km de lentidão em toda cidade.

Trens: A Linha 9-Esmeralda da CPTM registrou vários pontos de alagamento, impossibilitando a circulação dos trens entre as estações Osasco e Santo Amaro.Já a Linha 8-Diamante chegou a ter paralisação no inicio da manhã.

Leia também:

Chuvas – Metro SP

METRÔ: As linhas 1-Azul e 3-Vermelha chegaram a operar com velocidade reduzida e maior tempo de parada, mas às 14h a operação foi normalizada.

Aeroportos: Guarulhos e Congonhas tiveram voos cancelados, mas foi por um período curto.

Rodoviárias: Foram suspensas mais de 600 partidas programadas para sair do Terminal Rodoviário Tietê e 270 do Terminal Rodoviário Barra Funda.

Ocorrências: Os Bombeiros tiveram, até as 14h40 da segunda, 857 registros de ocorrência com enchentes na Grande São Paulo, 151 desabamentos e 134 quedas de arvores.

Deslizamentos de terras: Um menino de 8 anos soterrado foi resgatado com vida em Osasco-ele esta internado na UTI do Hospital Municipal de Barueri.

Órgãos públicos: O Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu o expediente em todas as unidades judiciais da comarca da Capital. O Tribunal Regional do Trabalho da 2ºRegião também não teve expediente nem atendimento. O mesmo ocorreu na Superintendência Regional da Policia Federal em São Paulo.

Escolas: A Secretaria de Educação do Estado suspendeu as aulas em 40 das 5,1mil unidades de toda a rede. Na rede municipal, 44 escolas públicas tiveram as aulas suspensas.Instituições particulares também cancelaram aulas.

Saúde: De acordo com a Prefeitura, 22 Unidades Básicas de Saúde tiveram dificuldade de atendimento e 4 ficaram fechadas:

  • Jardim Lapenna
  • União de Vila Nova
  • Anastácio
  • Pari

O Laboratório Lapa também não funcionou.

Energia: Os bairros mais afetados pela falta de energia foram Freguesia do Ó e Barra Funda onde uma subestação foi temporariamente desligada por causa da inundação.
Na região Metropolitana, o problema afetou Osasco, Santana do Parnaíba, Barueri, Santo André, Pirapora do Bom Jesus, Taboão da Serra e Carapicuíba que determinou estado de emergência.

Comercio: Prejuízo estimado é de R$110 milhões.

Chuvas – Metro SP

Fontes:

www.metrosp.blog.com
www.g1.globo.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *